19 março, 2014

Licença Poética

Na minha humilde opinião, só quem tem direito a licença poética é quem erra de propósito, conhecendo o erro. Defecar sobre uma gramática julgando que está pondo uma cereja num bolo não é licença poética.

Eis a motivação dessa postagem: https://www.youtube.com/watch?v=eVlvcgcHPTQ

 

 Uma saudade de nós bateu
E o colchão desabou sem tempo
O coração disparou por dentro

Parei no seu movimento
Depois
Quase explodi por nós dois
Pra quê
A gente ficar de mau
Se dói, se dói
Quero aquecer, ter calor
Te ter
Sem águas que desaguou
Embora não sei

Quem de nós dois vai segurar nós três
Será que é ela, será que é o mundo

Haverão-verão-verão verões
Haverão-verão-verão verão nós
Haverão-verão-verão verões
Haverão-verão-verão verão

Se é amor verdadeiro
Tem chance
Por existir natural
Romance
Que o tempo não metralhou
Foi bom
Foi beijos que desarmou
Fiquei

Quem de nós dois vai segurar nós três
Será que é ela, será que é o mundo

Haverão-verão-verão verões
Haverão-verão-verão verão nós
Haverão-verão-verão verões
Haverão-verão-verão verão

Venha ver o sol
E o que é seu
E viver o mar
Também

Oromim má
Oromim má
Oromim má
Muito obrigado por você me amar
Muito obrigado por você me amar


Achei linda a música. Porém, seus erros são assustadores e não passam despercebidos. "Sem águas que desaguou", por exemplo, ficou feio demais. Só se a gente for pensar que alguém desaguou essas águas (estaria Carlinhos se referindo ao pranto?). No caso dessa frase, era só colocar "água" no singular e tava tudo resolvido, qualquer que fosse o sentido empregado. O mesmo se diga dos absurdos "haverão verões" e "foi beijos que desarmou". "Embora não sei" não é lá muito melhor do que o restante.

"Quem de nós dois vai segurar nós três?". Nada na letra indica quem é essa terceira pessoa. Felizmente ele deu um jeito nisso explicando no título que se trata do amor, mas ficou uma bosta. E não sei o que o "mundo" tem a ver com o "quem de nós dois".Não estamos cobrando aqui uma erudição extrema (a mistura errada entre os pronomes "tu" e "você", por exemplo, é irrelevante e não traz nenhum problema). No entanto, a concordância verbal faria algum mal a essa composição? Claro que não! Faltou pouco...

É bem verdade que a letra não é o mais importante de uma música. Carlinhos Brown nunca dependeu de um bom texto pra fazer uma música boa. Ninguém entende porra nenhuma de "Selva Branca" ou "Uma Brasileira", mas isso não faz a menor falta nessas músicas de Brown.

Contudo, os erros gramaticais da música em comento doem muito no ouvido e, por óbvio, estragam a experiência de curtir o som (pois é bem através dos ouvidos que entra a música). Imagina que coisa chata é ouvir uma canção prestando atenção nos defeitos dela?

Fora isso, a melodia da música é excelente. ´Pontos extras pela voz de Quésia Luz.

PS: Qualquer erro no meu texto foi licença poética, tá?